A Caixa Econômica Federal informou que está reestruturando o sistema de atendimento com a abertura de 500 novas agências e duas mil correspondentes bancários para atender a demanda do Bolsa-Família. O governo federal está disponibilizando aos Estados e municípios todas as condições necessárias e estrutura para que as famílias abaixo da linha da pobreza sejam incluídas no Bolsa-Família. No próximo dia 20, o programa de transferência de renda do Fome Zero completa um ano de implantação, levando o benefício médio de R$ 75 por mês a cinco milhões de famílias pobres. A meta é chegar a 6,5 milhões de famílias até o final do ano e a 11,2 milhões até 2006.

A Caixa Econômica Federal informou que está reestruturando o sistema de atendimento com a abertura de 500 novas agências e duas mil correspondentes bancários para atender a demanda do Bolsa-Família.

O orçamento disponível também é favorável a expansão do programa. Para este ano são R$ 5,8 bilhões e 2004, R$ 6,5 bilhões. O Cadastro Único, que reúne os dados dos beneficiários, também evoluiu e, só este ano, capacitou representantes de mais de 2.000 municípios para efetuarem a transferência dos beneficiários de programas anteriores, como o do Bolsa-Escola para o Bolsa-Família.

O diretor do Cadastro Único, Cláudio Roquete, disse, no entanto, que é preciso mais empenho das prefeituras. “A estrutura de informática, hoje, permite que as prefeituras trabalhem na complementação dos dados. É fundamental que as prefeituras façam este trabalho de complementação dos dados do antigo cadastro do Bolsa-Escola, para colocar essas famílias em condições de receberem o Bolsa-Família”.

Nos municípios são boas as perspectivas de expansão do Bolsa-Família, até porque os resultados obtidos até agora são positivos. “Os resultados são surpreendentes. Nós já sentimos o impacto do Bolsa-Família junto à população e se não tivéssemos o Bolsa-Família seria difícil resolver o problema da fome e de necessidades básicas da população”, afirmou a secretária Municipal de Assistência Social de Teresina, Umbelina Carvalho. As informações são do site Fome Zero.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *