Ele disse que o Brasil continuará se empenhando para que o Líbano possa voltar a ser forte e altivo. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu hoje o plano alternativo de paz que personalidades israelenses e palestinas apresentaram em Genebra. A posição foi manifestada em discurso durante sessão solene no Parlamento libanês, em Beirute, a segunda etapa da viagem de Lula ao Oriente Médio.

Mais uma vez, Lula reforçou a posição do governo brasileiro a favor do diálogo como forma de resolver os conflitos na região. O presidente brasileiro citou especificamente a proposta de Genebra feita há alguns dias por representantes das sociedades árabe e israelense. “Esse acordo possibilitaria a criação de um estado palestino coeso e garantiria as condições para Israel viver em paz e segurança, preservando a sua soberania” – disse o presidente em seu pronunciamento.

Genebra

O chamado Acordo de Genebra prevê também o desmantelamento dos assentamentos de judeu montados em território ocupado e a divisão de Jerusalém como sendo capital dos estados israelense e palestino. No discurso aos deputados libaneses, Lula afirmou que o governo brasileiro repudia todas as formas de violência e acrescentou que para se alcançar a paz é necessária uma forte atuação das Nações Unidas na região, com a aplicação de suas resoluções. O governo de Israel se opõe à proposta.

Lula também voltou a defender uma ampla reforma da ONU (Organização das Nações Unidas), sobretudo no Conselho de Segurança, e agradeceu o apoio libanês ao pleito brasileiro de ocupar uma cadeira permanente no Conselho. Em janeiro, o Brasil assumirá por um ano a vaga rotativa do Conselho de Segurança. Lula disse ainda que o Brasil continuará se empenhando “com redobrada atenção” para que o Líbano possa voltar a ser forte e altivo. As informações são da Agência Brasil.(LA)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *